CAMPANHA DISTRIBUICAO-AGOSTO
Turismo

Agricultores do Assentamento Marrecas investem no turismo rural

A região produz uva, banana, acerola, coco, além de legumes e hortaliças.

23/06/2021 16h46
Por: Redação
Fonte: Portal Meio Norte

Famílias que trabalham nos perímetros irrigados acreditam que a tranquilidade do campo e as belas paisagens da região são um convite aos turistas

Muito verde, água em abundância e paisagens espetaculares. Um pequeno pedaço de paraíso localizado no coração da caatinga, na Zona Rural de São João do Piauí, cidade a quase 500 quilômetros de Teresina. 

Do acesso pela PI-141, são aproximadamente dois quilômetros de estrada carroçal até o assentamento Marrecas, onde moram famílias que sobrevivem da agricultura em perímetros irrigados. 

A região produz uva, banana, acerola, coco, além de legumes e hortaliças, que são comercializados para o restante do Piauí e estados vizinhos. 

E apesar dos bons resultados com a produção de alimentos orgânicos, os assentados buscam alternativas para incrementar a renda e melhorar a qualidade de vida das famílias. A aposta é o turismo rural.

“Nós estamos em uma época de pandemia, que veio para matar ou quebrar o cidadão. Mas melhor estar quebrado do que estar morto. Estamos nos virando. Estamos no campo, e nesta crise, o que sustenta a cidade é o campo. Nós fizemos o projeto com o PA, com a CONAB, mas é insuficiente para a demanda dos produtores”, conta a agricultora Maria de Lourdes, uma das pioneiras no assentamento.

Ela conta que já iniciou os investimentos para tornar o agroturismo realidade no Marrecas.

“Aqui nós já temos uma piscina, se você quiser conhecer o parreiral, aqui você será bem acolhido. Temos um grande potencial em São João. Aqui tem paisagens lindas, a gente tem uma passagem molhada, várias lagoas dentro do assentamento”, diz.

Além da melhoria e sinalização das estradas de acesso ao Marrecas, os assentados querem incentivos. Um dos problemas, ela diz, é relacionado à energia. 

Eles querem isenção nas taxas de energia e apoio para a construção de miniusinas fotovoltaicas, que ajudariam a reduzir os custos de produção.

Os produtores querem também autonomia para comercialização dos produtos. “O que mata a gente são os atravessadores. Queremos ter nossa autonomia e nós precisamos de ajuda na forma de comercializar esses produtos”

Também para o agroturismo, dona Maria de Lourdes aposta na história do assentamento, que está diretamente ligada ao Movimento Sem Terra no estado do Piauí.

“Nós temos uma história muito bonita e muitos estudantes querem conhecer a história do MST no Piauí. E o berço do MST no Piauí é marrecas. A gente está sempre tendo aqui visita de alunos universitários. A gente quer apresentar nossa história, mas também queremos que eles deixem aqui um meio de continuarmos essa história e melhorar a renda familiar”, relata.

Amante da vida no campo, dona Maria de Lourdes sabe, que hoje faz inveja para quem precisa encarar a rotina maçante da vida na cidade. E reconhece o privilégio que é viver cercada da natureza.

“Antigamente as pessoas tinham a maior vergonha de dizer: eu sou da roça. Hoje, quem está morando no campo tem uma diferença grande. Quem está morando na cidade tem o maior sonho de ter uma casinha dessa, de ter uma piscina dessa, e nós temos esse privilégio”, pontua.

Foto: Apoliana Oliveira/Meio Norte

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
São João do Piauí - PI
Atualizado às 01h30
25°
Poucas nuvens Máxima: 35° - Mínima: 21°
25°

Sensação

20.2 km/h

Vento

31.6%

Umidade

Fonte: Climatempo
Sua primeira CNH2
Sua primeira CNH
Boletim COVID-19
Municípios
Anúncio
Últimas notícias
Anúncio
Mais lidas
Anúncio
Anúncio