PRO PIAUI 3
João Costa

Em João Costa presença de vereador em Unidade Básica gera confusão

Parlamentar estaria fiscalizando se a ambulância estava sendo utilizada adequadamente.

04/11/2020 15h00
Por: Redação
Fonte: Portal GP1

Moradores do município de João Costa, distante 514 km de Teresina, procuraram o portal de notícia de Teresina, GP1, nesta terça-feira (03) para denunciar ações de perseguição a uma ambulância e suposta tentativa de intimidação a funcionários de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade. Os atos estariam sendo encabeçados pelo vereador Francisco Magalhães, conhecido como Situba, que na noite do último domingo (01) teria tentado intimidar os funcionários da UBS Mãe Andrelina.

A justificativa do parlamentar seria de que estaria fiscalizando para saber se a ambulância estava sendo utilizada adequadamente. Em vídeos encaminhados a nossa reportagem, é possível ver o instante em que o motorista da ambulância questiona o porquê de o vereador estar “perseguindo” o automóvel.

Outra pessoa presente no momento questiona quem vai se responsabilizar caso as perseguições às ambulâncias resultem em acidente. Em resposta, o vereador diz não se responsabilizar sobre as ações cometidas pelos outros apoiadores que andavam com ele. “Se os caras tão fazendo errado, eles que vão responder, são de maior”, afirmou.

O vereador explica que está realizando uma fiscalização como parlamentar da cidade. Questionado sobre o horário, ele afirma que pode realizar fiscalizações no horário que julgar melhor e dispara: “não tenho medo de nenhum aqui”.

Em outro momento, Situba minimiza a situação e questiona o porquê de tanto tumulto. “Uma informação que eu venho pedir, precisa um tumulto desse?”, coloca. Em seguida, o vereador se dirige a uma pessoa que questionava seu comportamento. “Vai se eleger pra poder ser gente aqui”, disse a um homem identitifado como Oliveira.

CLIQUE E VEJA I VÍDEO


Situba é vereador de oposição à atual gestão do município e, segundo ele, populares denunciaram que ambulâncias estariam se deslocando na cidade sem pacientes. Para apurar a denúncia, ele resolveu se dirigir à UBAS para perguntar aos funcionários informações sobre quem estava sendo levado e para onde.

Procurado pelo GP1 na tarde desta terça-feira (03), o vereador disse que iria se pronunciar posteriormente.